sábado, 4 de setembro de 2010

Professores que todos temos

  Nós somos capazes de aprender QUALQUER COISA, seja ela qual for. Somos plenamente capazes de aprender sobre coisas simples como uma mera operação de adição, assim como somos também capazes de aprender sobre física avançada, podendo até entender os meandros do funcionamento de um acelerador de partículas como o famoso LHC.
  Mas é evidente que nada se aprende da noite para o dia.
  Tudo depende de fatores internos e externos que podem atuar como interferentes ou auxiliares no processo.
  Entre esses fatores que eu particularmente identifico, estão basicamente três fatores: Disposição pessoal, tempo e progressividade.
  A disposição pessoal é fácil de entender. Cada um sabe que se aplicada a dose certa de energia na conquista de um objetivo, estará de fato a meio caminho de conquistá-lo. A disposição pode ser "auto desenvolvida" ou surgir a partir de um estímulo externo de alguém ou de alguma situação que nos tire de nossa zona de conforto e nos impulsione a agir para mudar uma situação pré-existente.
  Com isso conhecemos nosso primeiro grande professor...  A disposição para querer crescer...
  Às vezes, receber um estímulo externo para nos desenvolver a disposição é bastante válido e necessário, mas o ideal mesmo é que a disposição nasça em nós mesmos e se instale de modo definitivo.
  Disposição nos ensina a ter determinação para seguir em frente..  É o primeiro grande professor de quem quer chegar a algum lugar...
  Segundo grande professor, o tempo. Esse é importantíssimo, mas é tomado de uma forma errada e ineficiente.. Isso por que o tempo por si só, é apenas uma dimensão, que não é capaz de fazer absolutamente nada (experimente deixar um saco de pipocas de microondas do lado de fora do microondas por 3 minutos.. Os três minutos vão passar, e mais três, e mais três, a suas pipocas JAMAIS ficarão prontas... Mas a partir do momento em que você aplicar uma energia de ativação do próprio forno (que equivaleria à disposição para mudar algo no caso de atitudes para a nossa vida), durante um intervalo de tempo pré-determinado, suas pipocas começarão a estourar, (sua vida começará a ser melhor desenhada), QUASE do jeito que você espera. Portanto, o tempo nos ensina a ter a paciência para saber que não adianta ter pressa, o que adianta é ter a persistência de continuar a investir no plano e seguí-lo à risca, até se chegar ao objetivo determinado.
  O tempo é mesmo um grande professor!
  O terceiro professor, é a progressividade... Essa então, é importantíssima!
  Afirmei no início do post, que qualquer um pode aprender qualquer coisa (evidentemente, qualquer um que domine suas características cognitivas plenamente, por que bem sabemos que há pessoas que têm limitações físicas ou intelectuais - limitações essas que merecerão um novo post brevemente...)
  Pois bem, analisando a minha afirmação inicial, vamos considerar primeiro uma simples operação de adição. Para que se aprenda a "somar" é preciso primeiro conhecer o conceito de numero, depois conseguir abstração suficiente para entender que numerais os representam de forma escrita, no papel, e em seguida aprender as regras aplicadas às operações de adição, pra só depois então treinar até conseguir fazer somas simples ou mais coplicadas (como números com vírgula, monômios, polinômios, etc, etc, etc..)
  Fácil notar que a progressividade de conhecimentos foi determinante para aprendermos a somar não é mesmo? Mas e para entender a complexidade de um acelerador de partículas como o LHC?
  O raciocínio é exatemente o mesmo... A progressividade de conhecimentos, leva ao entendimento desse sistema complexo. A diferença está na quantidade e complexidade de conhecimentos necessários, mas evidentemente tem que partir da física elementar, até chegar ao conhecimento do que é afinal um "simples" Hádron, para depois entender como fazer para acelerá-lo e controlar todo o processo no interior do acelerador.
   Nesse caso específico, os professores são muito mais rígidos, pois temos que ter MUITA determinação, MUITO tempo e nos envolver com uma complexa inter-relação entre fatores de progressividade de conhecimentos para chegarmos ao sucesso...
   
  Então, qual é a diferença entre um renomado cientista nuclear e uma pessoa normal? Por que eles conseguem dominar tão grandes e complexas informações e nós não?
  Eu afirmo que não há diferença nenhuma. Qualquer pessoa que realmente deseje, poderá se tornar um deles, já que todos nós temos a nossa disposição exatemente os mesmos professores "universais", dentro os quais destaquei apenas três.
  Por isso acredito que não há limites para quem quer que seja. Se você deseja chegar a um objetivo, você pode, e você consegue...
  Seus "professores" irão exigir muito de você, de maneira diretamente proporcional à magnitude de seus objetivos, mas desde que você queira mesmo se submeter aos ensinamentos deles, nada te segura.
   Disposição, tempo, progressividade, são portanto chaves do sucesso. Pesquise a vida de gente de sucesso e verá que na vida deles, pelo menos esses três fatores foram presença constante e determinante para chegarem onde estão. 

Abraço a todos os futuros vencedores!!!