domingo, 23 de janeiro de 2011

E pensar? Será que dói?

    Nesse nosso mundinho cheio de conceitos às vezes úteis, às vezes imbecis, nos acostumamos ao velho conceito de que "pensar não dói"...
    Eu quero dizer para quem acha isso que dói sim, e dói muito!
  
Não é novidade que a partir de agora vou explicar o meu ponto de vista...


NÃO PENSAR é que não dói nada...

  Pensar dói sim, por que quando pensamos com profundidade sobre determinados assuntos, somos levados a formular "novas verdades" que podem vir a atingir frontalmente alguns conceitos aos quais nos acostumamos e aos quais seguimos por toda uma vida, mas que diante dessa nossa nova verdade nascida de um processo de pensamento livre das amarras de qualquer tipo de limite, podem vir a não ser mais absolutos e é nesse ponto exato que começa a dor, já que agora somos forçados a uma readequação, a uma readaptação, que gerará um necessário processo de transformação intelectual e de valores, e isso nos custa, portanto dói!
  Infelizmente, não fui eu quem chegou a essa brilhante conclusão. A explicação que consta acima é minha forma de entender o assunto, mas a verdade é que esse conceito tem uma explicação mais técnica e detalhada, e até um nome bem pomposo: "Dissonância Cognitiva" (Para saber mais: Wikipédia, Dynamiclab , Blog: Não Posso Evitar ).
  Mas se é assim, então por que quase ninguém sente esse tipo de dor?
  É que semelhantemente à massa bestificada que assistia ao desfile do rei nú e afirmava de boca em boca que jamais se havia visto mais belo traje, com o receio de ser considerado burro pelos demais se afirmasse não o estar vendo, a maioria de nós também prefere aceitar de bom grado o que nos é oferecido como conceito absoluto para explicar os fatos cotidianos, já que é muito mais fácil se adequar a ideias pré-fabricadas e amplamente aceitas, e assim seguir sem maiores problemas ao fluxo do senso comum, ao invés de desenvolvermos o senso crítico, ou pelo menos o bom senso.
  É fato que desafiar o senso comum, expondo suas próprias idéias gerará baixíssima adesão e com efeito, muita crítica já que a oposição frontal a conceitos massificados e aceitos como verdade a tanto tempo, dificilmente será aceita e poderá redundar em dor (até mesmo física) a quem ousa fazê-lo.
  De uma forma ou de outra, então, eu afirmo que pensar realmente dói... E muito!